A Xio marou 🎁 GIVEAWAY #9 🎁

Noc Noc – tapetes com pinta vai oferecer um tapete de entrada totalmente personalizável

Para isso tens de….
– Partilhar esta publicação (público)
– Mencionar 3 amigos/as nos comentários da foto do Giveaway
– Fazer gosto na página https://www.facebook.com/Xioquasequemara
– Fazer gosto na página https://www.facebook.com/nocnoctapetescompinta

O giveaway termina às 23.59h do dia 17/03/2017 e o(a) vencedor(a) será apurado através do random.

Boa sorte!
É só participar aqui: http://bit.ly/2nn7uyb

🐱🐶

“Como é que o Chico e o Jonas cheiram sempre tão bem pá?” “E o pêlo o que lhes dás para estar tão brilhante?” Este é o cocktail maravilha para a pele e pêlo dos patudos ? era fácil que a ração por si só fizesse milagres mas não (até porque no caso deles não é a alimentação exclusiva, comem tudo que roubam, comem moscas, babetes, meias… etc) e então junto à ração óleo de salmão ou óleo de coco, este dá até para colocar nas feridas deles por exemplo? (e uso também no meu cabelo para hidratar) e depois temos o flashhhh… ahhh o flash que cheira tãaaaaaao bem e ainda deixa o pêlo mais brilhante! Eles merecem😃

(Falei 1o com a veterinária deles, façam o mesmo)

O Parto… aos olhos do pai!

“Aos meus olhos ela cresceu, tornou-se gigante, ao meu coração o nosso amor fortaleceu. É verdade, eu estive lá todas as horas e segundo eu não há amor maior que ver o nosso amor gerar outro amor, segundo eu ainda maior. Vá, talvez não seja maior, seja apenas diferente, algo novo que passei a sentir.. gigantescamente inexplicável. Foram horas difíceis, uma espera dolorosa ainda mais porque o meu amor estava ali numa cama de um bloco de partos cheia de tubos, e agulhas e máquinas apitar e garrafas de soro e sei lá mais o quê! Enfim, “too much” para a minha cabeça de Homem e que me fez sentir angustiado por ela e pelo que os meus olhos viam. A certa altura, eu mesmo disse “ok Cati, ganhaste, também eu não quero voltar a passar por isto!” (embora esta seja a única frase de que me arrependo dentro daquele bloco), ela vai guardar esta frase para o dia em que eu lhe disser que quero ter mais filhos (e como eu sei que ela não se esquecerá). Aquele ar cansado de quem insistentemente insistia no “pushhh” para que a nossa filha descesse para que finalmente pudesse chegar a hora, aquele aperto na minha mão de uma força que desconhecia mas que vos garanto que é muito mais do que algum dia imaginei, aquele olhar de amor que mais uma vez senti pelo obrigado que me dizias por também eu estar a sofrer contigo. Nunca me esquecerei da Mulher que foste naquela cama de hospital assim como nunca me esquecerei simplesmente da Mulher que és!! Quando a hora chegou e aquela cama num instante passou a ser um “transformer” e se transformou afinal em algo que nunca tinha visto, lá continuavas tu nos teus pushhhhs com o teu ar cansado, cor pálida, olhos vermelhos a fazer algo que eu sabia que eras capaz mas que me fez chorar de emoção pela tua força e pela tua vontade de trazer a nossa filha ao Mundo e para o meio de tudo que tínhamos preparado para ela. No meio de tanta gente, tanta adrenalina os meus olhos só te viam a ti, a tua coragem a tua força. Mais uma vez repito que nunca esquecerei o que se passou no bloco de partos n°1 naquele interminável dia. No verdadeiro e decisivo pushhh em que gritavas como uma Leoa, gritavas tanto e com tanta força que a nossa filha lá saiu. Assim que percebeste isso os teus gritos passarram imediatamente a um sorriso gigante, abracei-te, estavas exausta e eu no auge das emoções de tudo o que tinha vivido até aquele dia. Choramos desesperadamente por uma alegria que nos contagiou, que se apoderou de nós e nos fez esquecer tudo o que até ali se tinha passado. Agora os nossos olhos estavam na nossa menina e nem mais um “ai” ouvi da tua boca. O teu olhar seguia a nossa bebé e eu estava numa alegria que depois disso só me lembro de te ver amamentar e ficar com essa imagem guardada até ao momento em que peguei na minha filha e a fui vestir e sentir então a força da palavra Pai.
Daí em diante tem sido um mar de experiências, umas noites com sono intervalado ou bastante intervalado vá ?? mas sempre de sorriso rasgado de esforços unidos pelo melhor daquilo que o nosso amor gerou.. a nossa Xica. Tenho a certeza que seremos bons pais e que a Xica será muito feliz connosco.

Segundo os meus olhos é isto. Estou muito feliz desde esse dia. Agora tira-me de administrador desta página de marados porque não curto que o meu tlm toque segundo a segundo. Isso é para ti que es bloguer e estas habituada a essa excitação. Eu não. Sou só o Pedro. Pai da Xica. Obrigado.

P.s.: Obrigado por toda a energia positiva que recebi desta página de marados cheios de bom coração. A minha Xio construiu aqui um “sítio” bonito e com boa energia. Obrigado do fundo do meu coração. Continuem a fazê-la feliz. Eu faço o que posso. Abreijos” 

in https://www.facebook.com/Xioquasequemara/posts/1164786700280340

O Parto.. agora a sério!

17.11.2016

Acordei do pouco que consegui dormir com tanta ansiedade, na mesma sem contracções corri para a maternidade para ir ter com a minha obstetra a saber se já tinha mais dilatação e pronto depois do toque ouvi “A Cátia é para internar”. Chorava de dores na punani. E o Pedro também de me ver chorar. E a médica só dizia oh Cátia e Pedro isto ainda nem começou, vá vamos para a box 1. Na na na, calminha aí batas brancas, vocês não estão a perceber se é mesmo HOJE eu tenho de ir la fora fumar um cigarro e chorar até sufocar. “Eu não vou conseguir Pedro. Eu já estou a desmaiar percebes? Aiiiiiiiiiii a culpa é tuaaaaaaaaaaa tuaaaaaaa!!!!” Peguei no telemóvel e liguei à minha mãe a chorar enquanto toda a gente estava de boca aberta a ver-me na porta das urgências mascarada de barriga-super- lua a fumar. É horrível, EU SEI, mas teve de ser para me acalmar! E ninguém ousou dizer fosse o que fosse porque ali já devem saber do que uma grávida com nervos é capaz. Respirei fundo, fui ao wc olhar para o espelho e disse alto “tu consegues” e chorei outra vez porque podia enganar toda a gente menos a mim. Vá, papá vista esta bata cor-de-rosa. E com os nervos dele acabei por me rir porque parecia uma camisa de forças, estava a vestir aquilo ao contrário!!! Vá, mamã, esta é a sua batinha, esta é a vossa box, a sua cama, a poltrona do papá, o wc, e então vai querer epidural?… oh pa deixem-me!!!!!!!! Quero ir para casa!!! Vamos também colocar-lhe um cateter… Não vos estou a ouvir. Não estouuuuuuuuu! Rapidamente perceberam que eu era uma pessoa com medos. Doente da cabeça vá. Começaram então a tratar-me como uma criança, com todos os cuidados e falinhas mansas. Eis que entra a gaja da agulha. A gaja da epidural. Não se pode mexer (amiga estou petrificada de medo, claro que não me vou mexer). Ah e tal que não doi. Mentirosaaaaaaaaaas. Sim vocês! Doeu muitoooooo levar com aqueles vidros todos nas costas. Agora tem aqui este comando e sempre que clicar tem mais analgesia. Música para os meus ouvidos. Ao fim de meia hora já devia ter clicado 7657 vezes e passava a vida a beliscar as pernas para ver se não estava mesmo a sentir nada. Estava a começar a gostar daquilo. Estava quase a achar que ia ser capaz. Pronto agora vamos colocar um cateter com oxitocina para lhe provocar contracções uma vez que não tem…. Nãaaaaaaaaaao. E acabaram-se as agulhas. Nisto entra a minha melhor amiga, madrinha da Xica, de surpresa e pronto lá me acalmei. Vê-la ali comigo fez parecer que aquilo não era assim tão mau. Era como se estivéssemos no café mas sem café e podia rasgar nos enfermeiros que me tinham feito maaaaaaaaal!!!!!! As horas iam passando e contracções uuuu uuuu nadinha e comecei a hiperventilar quando me lembrei que a qualquer momento ia ser algaliada. Não queroooooooooo. E entra uma parteira daquelas que nos põe no sitio e me diz sabes há quantos anos as pessoas têm filhos??? E em casa? Ou nos montes??? Se elas conseguem você também consegue porque estamos aqui consigo. Olha-me esta cabra do monte, pensei eu… e o Pedro olhava para ela de ladeiro. Ele estava tão grávido quanto eu e por isso reagia como se as hormonas fossem explodir. Mas ela tinha razão. Algaliou-me. Rebentou-me as águas e não senti nada, nadinha, nadica. E foi aqui que percebi que realmente a epidural funcionava. Pedroooooooooo, acho que vou conseguir!!! Yeah!!! Ora bem agora puxe. Puxe bem. Puxeeeeeeeee. Que canseira, MEU DEUS. Puxe que está a puxar bem…. O truque minhas amigas é… não há maneira mais bonita para dizer isto… é fazer força para fazer cocó!!! Isso mesmo! Essa força. Abençoada pessoa aqui do estaminé que me deu essa dica um dia por mensagem privada! Puxe, puxe, puxeeeeeeeeeeeee e… nadaaaaaa! Tinha os olhos já como um coiote de tão raiados, sentia-me esgotada e ainda com medo, claro. O Pedro com aquela calma dele disse: Cátia, pronto ganhaste. Só vamos ter uma filha única porque nunca mais quero que passes por isto (Claro que no dia seguinte já dizia que não tinha dito nada disto). Nisto entra uma pessoa com uma agulha e 5 FRASCOS na mão e diz ahhh Cátia, temos aqui indicação de que gostaria de doar as células estaminais ao banco público. Vamos então fazê-lo ok? E pensava para mim, a sério que tinhas de te armar em altruísta e agora vais mamar com mais uma agulha?? A sério Cátia?? Ok, ok!!! Tinham dito que era a ultima agulha no cateter. Mentirosos!!!!!! E voltamos ao puxe… puxeeeeee… puxeeeee… mas sem contracções realmente não é fácil. Nem uma para amostra? Nem uma dor? Nadaaaaaa! Se calhar é melhor aumentarmos oxitocina e menos epidural. Ahhh isso é que era bom, o comando é MEU!!!!!! Nem pensem. E só por causa disso já vou clicar mais 56 vezes. A minha obstetra entra a dizer a outra médica “acabamos de fazer nascer um carapau, mas esta aqui é um golfinho” e diz Cátia vamos lá, chegou a hora, o bloco de cesarianas já está livre caso seja necessário, como a Xica é muito grande não queria correr o risco de não te poder levar logo para lá caso seja necessário e foi aqui, senhores ouvintes, que a coisa se deu na minha cabeça. Cesariana??? Devem estar mas é a brincar. Agora é que vão ver o que é puxar loool. Entre batas azuis, amarelas e brancas à minha volta o que parecia ser uma mera cama passou a ser um transformer cheio de truques pronto para me levar à lua. Puxeeeeee puxeeeeeee puxeeeeeeeee e…. em 10 minutos… vi a minha filha nascer. O momento em que pára tudo e nada mais importa a não ser olhar para ela. Ali estava ela a sorrir. A fazer-nos sorrir. Lembro-me de dizer ao Pedro que estava a chorar (a chorar é pouco, ele estava quase afogado) agarrado a mim “é a tua cara, igualzinha”. E não me lembro de quase mais nada porque a partir daquele momento só a Xica me importava. Tão linda. Tão perfeitinha. Tão minha. Tão nossa. O momento pele com pele. O primeiro colo. O Primeiro beijo de tantos. Ver o Pedro vesti-la pela primeira vez cheio de medo de lhe arrancar um braço, mas feliz, tão feliz. Tive tanta sorte com a equipa médica, tanta! É isto que interessa. Não é privado nem público. São as pessoas. Que sejam os melhores profissionais, mas que também tenham a parte humana que senti a cada minuto (foram tão impecáveis, deixaram também que a minha melhor amiga estivesse ali ao meu lado a chorar de alegria e a pegar na afilhada ao colo com apenas 15 minutos de vida.)
17-11-2016, 20h31, Xica com 3700kg e 50cm. Conseguiiiiiiii marados!!! Com medo. Sem dor. Não sei o que são contracções ainda. Com agulhas. Sem desmaios. Somos realmente capazes de tudo por eles. Tudo. Mas…… nunca mais lá me apanham!

Obrigada por tudo Pedro e epidural. Amo-vos!

O Parto!

Uma palavra amiga para quem tem medo… Sobrevivi. E se EU sobrevivi qualquer uma de vocês também vai sobreviver!!!

Eu que morria de medo como vocês sabem com a minha fobia a agulhas e a todo aquele cheiro a álcool e a éter e a pessoas que picam pessoas. Cheguei as 40 semanas, já estava fartinha. Não tinha posição para nada. Passei a gravidez sem enjoos, sem desejos, sem qualquer chatice. Mas as últimas duas semanas tiveram praí 6534567 dias e já só pedia para a Xica nascer. A natureza é perfeita. Já preferia que chegasse a hora do parto mesmo com medo do que continuar grávida, estava farta de me sentir uma tartaruga que quando se sentava tinha de pedir ajuda para se levantar com a carapaça. Perguntavam-me mas tu já tens contrações? “Eu sei lá menina se são os chineses ou o cara***”, não sei. Sinto umas fisgadas mas sei lá se são contrações. Nunca estive grávida. Deixem-me. Depois os bitaites. É dia 30 outubro. É dia 5. É na super lua e nunca mais era… achava que ia ficar grávida até 2020! Dia 16 fui a consulta logo de manhã com Dra Graça Buchner (essa grande senhora) que ao examinar (examinar até parece uma cena soft, mas o que elas fazem é mesmo ver com os dedos, sinónimo de escarafunchar-que-doi-como-a-merda) diz: Cátia temos aqui 4 cm dilatação, posso dar andamento à coisa? Nãaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaao. Eu ainda aguento mais uns ANOS grávida. Não quero. Nãaaaaaaaaaaao. Chorei de alegria, de dor e de medo. Pronto, nasce hoje ou amanhã. Falta só ter as contrações porque aqui nos registos nem vê-las. What?!!!! Aiiiiii. O Pedro chorava do outro lado da cortina enquanto dizia força Cati, vamos Dra… como se estivesse a gritar pelo FCP! E a Dra dizia estou tramada com estes dois. Não sei quem vai aguentar menos. Quer ficar já aqui? Nãaaaaaaaaaaao! Quero ir para casa. E vim, fui buscar um menu Big mac com batatas fritas. Precisava de conforto, aquele que só umas batatas fritas com molho de alho nos sabem dar. Mas precisava de algo ainda mais reconfortante. Fui a casa dos meus pais. Precisava de um abraço deles. Vai correr tudo bem diziam-me eles. Vai… vai… vai dizia eu. Vim para casa e nada!!! Nada desta bida, não sentia nada… depois como qualquer mulher com tempo a mais para pensar comecei a fazer filmes: e se estou aqui em casa e começa a sair a cabeça? E se dilata e eu não sinto nada? E se chego lá e já não posso levar epidural? E se nasce no caminho com o transito que faz na VCI? E se desmaio mal sinta uma contração? E se… São muitos ses para quem está a passar por tudo isto pela primeira vez. E portanto fui fazer uma sesta! Ahhh maravilha 15 minutos de sesta… não consegui mais com tanta ansiedade, ainda nasce aqui na cama!!! Uma pessoa fica maluca da cabeça. Mais ainda! E só por isso também jantei batatas fritas do McDonalds…

(Ups… a Xica está a gritar por mim… ou pelos meus nipples vá…)
TO BE CONTINUED… quando tiver tempo, talvez quando ela tiver 5 anos… Grr!