O Parto… aos olhos do pai!

“Aos meus olhos ela cresceu, tornou-se gigante, ao meu coração o nosso amor fortaleceu. É verdade, eu estive lá todas as horas e segundo eu não há amor maior que ver o nosso amor gerar outro amor, segundo eu ainda maior. Vá, talvez não seja maior, seja apenas diferente, algo novo que passei a sentir.. gigantescamente inexplicável. Foram horas difíceis, uma espera dolorosa ainda mais porque o meu amor estava ali numa cama de um bloco de partos cheia de tubos, e agulhas e máquinas apitar e garrafas de soro e sei lá mais o quê! Enfim, “too much” para a minha cabeça de Homem e que me fez sentir angustiado por ela e pelo que os meus olhos viam. A certa altura, eu mesmo disse “ok Cati, ganhaste, também eu não quero voltar a passar por isto!” (embora esta seja a única frase de que me arrependo dentro daquele bloco), ela vai guardar esta frase para o dia em que eu lhe disser que quero ter mais filhos (e como eu sei que ela não se esquecerá). Aquele ar cansado de quem insistentemente insistia no “pushhh” para que a nossa filha descesse para que finalmente pudesse chegar a hora, aquele aperto na minha mão de uma força que desconhecia mas que vos garanto que é muito mais do que algum dia imaginei, aquele olhar de amor que mais uma vez senti pelo obrigado que me dizias por também eu estar a sofrer contigo. Nunca me esquecerei da Mulher que foste naquela cama de hospital assim como nunca me esquecerei simplesmente da Mulher que és!! Quando a hora chegou e aquela cama num instante passou a ser um “transformer” e se transformou afinal em algo que nunca tinha visto, lá continuavas tu nos teus pushhhhs com o teu ar cansado, cor pálida, olhos vermelhos a fazer algo que eu sabia que eras capaz mas que me fez chorar de emoção pela tua força e pela tua vontade de trazer a nossa filha ao Mundo e para o meio de tudo que tínhamos preparado para ela. No meio de tanta gente, tanta adrenalina os meus olhos só te viam a ti, a tua coragem a tua força. Mais uma vez repito que nunca esquecerei o que se passou no bloco de partos n°1 naquele interminável dia. No verdadeiro e decisivo pushhh em que gritavas como uma Leoa, gritavas tanto e com tanta força que a nossa filha lá saiu. Assim que percebeste isso os teus gritos passarram imediatamente a um sorriso gigante, abracei-te, estavas exausta e eu no auge das emoções de tudo o que tinha vivido até aquele dia. Choramos desesperadamente por uma alegria que nos contagiou, que se apoderou de nós e nos fez esquecer tudo o que até ali se tinha passado. Agora os nossos olhos estavam na nossa menina e nem mais um “ai” ouvi da tua boca. O teu olhar seguia a nossa bebé e eu estava numa alegria que depois disso só me lembro de te ver amamentar e ficar com essa imagem guardada até ao momento em que peguei na minha filha e a fui vestir e sentir então a força da palavra Pai.
Daí em diante tem sido um mar de experiências, umas noites com sono intervalado ou bastante intervalado vá ?? mas sempre de sorriso rasgado de esforços unidos pelo melhor daquilo que o nosso amor gerou.. a nossa Xica. Tenho a certeza que seremos bons pais e que a Xica será muito feliz connosco.

Segundo os meus olhos é isto. Estou muito feliz desde esse dia. Agora tira-me de administrador desta página de marados porque não curto que o meu tlm toque segundo a segundo. Isso é para ti que es bloguer e estas habituada a essa excitação. Eu não. Sou só o Pedro. Pai da Xica. Obrigado.

P.s.: Obrigado por toda a energia positiva que recebi desta página de marados cheios de bom coração. A minha Xio construiu aqui um “sítio” bonito e com boa energia. Obrigado do fundo do meu coração. Continuem a fazê-la feliz. Eu faço o que posso. Abreijos” 

in https://www.facebook.com/Xioquasequemara/posts/1164786700280340

1 comentário em “O Parto… aos olhos do pai!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.